Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de maio de 2017. Atualizado às 23h30.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 31/05/2017. Alterada em 30/05 às 20h22min

IGP-M de maio registra diminuição de 0,93% ante o mês anterior

Produtos agropecuários tiveram queda de 1,84% durante o período

Produtos agropecuários tiveram queda de 1,84% durante o período


/ANTONIO PAZ/JC
O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) registrou deflação de 0,93% em maio ante variação negativa de 1,10% em abril, divulgou ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV). Entre os três indicadores que compõem o IGP-M, o IPA-M reduziu levemente a deflação, ao sair de -1,77% em abril para -1,56% em maio. Na mesma base de comparação, o IPC-M ficou em 0,29% após 0,33%. O INCC-M acelerou para 0,13%, de deflação de 0,08% no mês anterior. A variação acumulada do IGP-M em 12 meses até maio é de 1,57%. Já no ano, o indicador acumula retração de -1,29%.
Os preços dos produtos agropecuários no atacado, medidos pelo IPA agropecuário, caíram 1,84% em maio depois da queda forte de 4,30% em abril, informou a FGV. Já os preços de produtos industriais mensurados pelo IPA Industrial intensificaram o ritmo de retração, ao declinarem 1,45%, na comparação com o recuo de 0,85% no quarto mês do ano.
Os preços dos bens intermediários subiram para 0,06% em maio em relação à taxa negativa de 0,77% apurada em abril. Já a variação dos bens finais desacelerou para 0,06%, depois da alta de 0,36% no quarto mês do ano. Os preços das matérias-primas brutas tiveram deflação um pouco maior em relação a abril, saindo de -5,22% para -5,26%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia