Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de maio de 2017. Atualizado às 22h32.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Notícia da edição impressa de 30/05/2017. Alterada em 29/05 às 20h34min

Projeto já recebeu 218 emendas no Senado

O projeto de reforma trabalhista já recebeu 218 emendas no Senado. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) nº 38, de 2017, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), recebeu as primeiras emendas no dia 4 de maio, propostas pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). As emendas mais recentes foram apresentadas pela senadora Lídice da Mata (PSB-BA) e pela própria senadora Vanessa no dia 25. O parecer sobre o tema deverá ser votado pelos senadores hoje na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). O PLC é o primeiro item da pauta da Comissão.
Na semana passada, o projeto da reforma trabalhista foi alvo de uma grande confusão no Senado, quando o relator Ricardo Ferraço (PSDB-ES) tentou apresentar o parecer durante sessão da CAE. A sessão foi interrompida, e o senador tucano deu o texto "como lido" e, em seguida, deu vista coletiva ao projeto.
O procedimento foi questionado pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) no plenário na quinta-feira, dia 25. Em questão de ordem, a senadora disse que pode ter ocorrido fraude na tramitação da matéria. A parlamentar paranaense alegou que foi concedida vista coletiva do projeto sem nunca ter havido um só pedido para isso. No plenário, a petista pediu a apuração do fato e, enquanto não há conclusão, que seja interrompida a tramitação da reforma trabalhista na Casa. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse que recebia a questão de ordem da senadora, mas que não decidiria no momento.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia