Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de maio de 2017. Atualizado às 09h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

29/05/2017 - 09h00min. Alterada em 29/05 às 09h03min

Confiança da indústria avança 1,1 ponto em maio ante abril, para 92,3 pontos, aponta FGV

Houve elevação tanto nas expectativas dos empresários quanto no indicador que mede a situação atual

Houve elevação tanto nas expectativas dos empresários quanto no indicador que mede a situação atual


JESUS ALCAZAR/AFP/JC
O Índice de Confiança da Indústria (ICI) subiu 1,1 ponto em maio ante abril, alcançando 92,3 pontos, o maior nível desde abril de 2014 (97 pontos), informou nesta segunda-feira (29) a Fundação Getulio Vargas (FGV).
Segundo a coordenadora da Sondagem da Indústria, Tabi Thuler Santos, apesar do avanço no mês, os resultados da Sondagem ainda indicam insatisfação do setor com o momento presente e manutenção de elevados níveis de ociosidade. "As expectativas do setor são um pouco mais favoráveis. Ainda assim, combinam, no momento, uma calibragem para baixo das perspectivas para o ambiente de negócios e para o total de pessoal ocupado no setor com previsão de aceleração da produção no curto prazo", diz.
A alta na confiança industrial ocorreu em oito de 19 segmentos pesquisados e houve elevação tanto nas expectativas dos empresários quanto no indicador que mede a situação atual. O Índice de Expectativas (IE) avançou 1,3 ponto, para 95,7 pontos e o Índice da Situação Atual (ISA) subiu 0,7 ponto, para 89,0 pontos.
No IE, a maior contribuição foi dada pelo quesito que mede as expectativas com a evolução da produção, que subiu 5,8 pontos em maio, atingindo 99,0 pontos. Neste período, houve elevação da proporção de empresas que prevê aumentar a produção nos três meses seguintes, de 32,1% para 34,7%, e recuo na parcela das que esperam reduzir a produção, que passou de 22,8% para 18,4% do total.
Já dentro do ISA, o destaque foi o indicador que avalia a demanda, que teve elevação de 4,7 pontos, para 87,6 pontos, após cair 1 ponto e influenciar negativamente o ISA em abril. O movimento mais otimista de maio deve-se à queda em maior magnitude da parcela das empresas que vê a demanda como fraca (de 45,7% para 31,3%) em relação à redução da fatia que considera a demanda forte (8,3% para 7,7%).
Entre abril e maio, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) permaneceu estável em 74,7%.
A edição de maio de 2017 do ICI coletou informações de 1.130 empresas entre os dias 2 e 24 deste mês. A próxima divulgação desse indicador será no dia 28 de junho de 2017, sendo que a prévia do resultado será publicada no site do Ibre no dia 22 de junho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia