Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de maio de 2017. Atualizado às 19h19.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

24/05/2017 - 19h14min. Alterada em 24/05 às 19h22min

Em Nova Iorque, dólar se enfraquece, após ata do Fed não alterar expectativa para juros

O dólar recuou nesta quarta-feira, 24, após a ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) não alterar as expectativas para a trajetória das altas de juros nos Estados Unidos nos próximos meses.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar caía a 111,62 ienes e o euro avançava a US$ 1,1218.
A ata mostrou que os dirigentes do Fed continuam a esperar uma elevação dos juros em breve, após a economia perder fôlego no primeiro trimestre. Ainda assim, alguns dirigentes mostraram preocupação com a fraqueza recente da inflação e de outros indicadores.
"Os membros em geral julgariam prudente esperar por evidência adicional para indicar que a recente desaceleração no ritmo da atividade econômica havia sido transitória, antes de tomar mais um passo na retirada da acomodação", afirma a ata.
Segundo Omer Esiner, analista-chefe de mercado da Commonwealth Foreign Exchange, alguns investidores esperavam que o Fed enviasse um sinal mais claro de elevação dos juros em junho. Osmar afirmou que a referência a uma alta de juros no próximo mês foi menos direta do que o esperado por alguns. "Por outro lado, o Fed soou otimista sobre a saúde geral da economia", ponderou.
Os futuros dos fed funds, usados pelos investidores para fazer apostas na trajetória dos juros nos EUA, mostravam uma chance de 83% de elevação dos juros no mês que vem, segundo o CME Group. Juros mais altos em geral apoiam o dólar ao tornar os ativos dos EUA mais atrativos para investidores em busca de retornos.
A ata também indicou que o Fed caminha para um consenso sobre o plano para reduzir o portfólio mais adiante neste ano, de maneira gradual. Estrategista de câmbio do Jefferies Group, Brad Bechtel afirmou que não está ainda claro se o Fed interromperá as altas de juros, enquanto reduz seu balanço.
Os mercados veem 46% de chance de que o Fed siga com seu plano de elevar os juros mais duas vezes neste ano, segundo dados do CME Group.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia