Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de maio de 2017. Atualizado às 21h02.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

24/05/2017 - 18h31min. Alterada em 24/05 às 21h07min

Bolsas de Nova Iorque fecham em alta, com setor imobiliário e concessionárias em destaque

As bolsas de Nova Iorque fecharam em alta nesta quarta-feira, 24, com investidores avaliando a ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que saiu nesta tarde. Os papéis do setor imobiliário e de concessionárias se saíram bem - esses setores em geral pagam dividendos relativamente altos e investidores tendem a privilegiá-los quando há cautela em outras áreas do mercado.
O índice Dow Jones fechou em alta de 0,36%, em 21.012,42 pontos, o Nasdaq avançou 0,40%, a 6.163,02 pontos, e o S&P 500 teve ganho de 0,25%, a 2.404,39 pontos.
No caso da ata do Fed, os dirigentes voltaram a enfatizar que a trajetória de aperto monetário será gradual. As bolsas de Wall Street aceleraram os ganhos, após a divulgação do documento, diante do gradualismo mostrado pelo comando do banco central.
Na avaliação de Russ Koesterich, gerente de portfólio do BlackRock Global Allocation Fund, as forças estão "muito equilibradas" nos mercados. "A economia está se saindo bem, mas não decola. O Fed está elevando os juros, porém de maneira gradual. E os investidores estão nervosos com as altas valorizações e a baixa volatilidade, só que há poucos outros lugares para ir."
As ações das concessionárias que integram o S&P 500 subiram 0,7% e as do setor imobiliário ganharam 0,6%. Além disso, papéis de mineradoras avançaram. Entre as ações em foco, DuPont teve alta de 1,3%. Tiffany, porém, caiu 8,7%, no maior nível desde 2015, após divulgar números fracos relativos ao primeiro trimestre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia