Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de maio de 2017. Atualizado às 20h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 17/05 às 20h03min

Em Nova Iorque, dólar recua ante euro e iene após mais recente polêmica com Trump

O dólar recuou ante o euro e o iene, diante da cautela com o novo episódio que envolve o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. A cautela pelo mesmo motivo, além disso, fez o dólar avançar ante algumas moedas emergentes e commodities.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar recuava a 110,99 ienes e o euro subia a US$ 1,1157.
A pressão sobre o dólar ante as moedas fortes ocorreu após as reportagens, divulgadas depois do fechamento de ontem, de que Trump teria pressionado o então diretor do FBI, James Comey, a recuar de uma investigação sobre os laços do ex-assessor de Segurança Nacional Michael Flynn e a Rússia. Alguns republicanos no Congresso pediram mais investigações do episódio, enquanto a Casa Branca ontem mesmo negou a veracidade do relato.
O assessor financeiro Ryan Wibberley afirmou que tem havido cautela nos mercados nos últimos meses. Com a revelação de que Trump teria feito usado seu poder para tentar barrar uma investigação, o quadro poderia se agravar. "Tem havido fumaça para toda parte", disse Wibberley. "Esta é a primeira vez que há fogo", comentou sobre a nova polêmica.
A busca por segurança favoreceu o iene durante a sessão. Ao mesmo tempo, o mesmo motivo favoreceu o dólar ante várias divisas emergentes e commodities.
"Os problemas da administração estão tirando o foco das políticas para ajudar o crescimento, prejudicando o dólar nos EUA", afirmaram analistas da Investec em nota nesta quarta-feira, 17. A incerteza política também poderia levar o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a retardar a trajetória de aperto monetário gradual nos juros, outro fator que pode enfraquecer o dólar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia