Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 23h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

Notícia da edição impressa de 16/05/2017. Alterada em 15/05 às 21h19min

Vendas no Dia das Mães voltam a crescer após três anos

Quedas da inflação e dos juros são fatores que animam o consumidor

Quedas da inflação e dos juros são fatores que animam o consumidor


CLAITON DORNELLES /CLAITON DORNELLES/JC
As vendas na semana do Dia das Mães cresceram 2% neste ano, segundo o indicador de Atividade do Comércio, da empresa de consultoria Serasa Experian. A avaliação foi feita no período de 8 a 15 de maio, em relação a período equivalente de 2016, quando houve queda de 8,4% nas vendas. O resultado deste ano é o primeiro com variação positiva desde 2014.
Para economistas da Serasa Experian, o crescimento é explicado pela redução da inflação, a queda do juros e a entrada dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) na economia.
Também houve melhora de 1% nas vendas relativas ao fim de semana do Dia das Mães (12 a 14 de maio), na comparação com as datas relativas ao ano passado.
Já o levantamento feito pela Boa Vista SCPC aponta alta de 1,6% nas vendas para a data neste ano, apuradas ao longo da semana imediatamente anterior ao Dia das Mães (8 a 14 de maio), em comparação ao registrado em período equivalente de 2016 (2 a 8 de maio de 2016).
O resultado positivo interrompeu uma sequência de dois anos consecutivos em baixa, já que foi constatada retração de 4,6% em 2016 e queda de 1,2% em 2015. O Dia das Mães é a segunda data comemorativa mais importante para o comércio, perdendo apenas para o Natal.
Na avaliação da Boa Vista, o desempenho do comércio na data "segue a tendência de recuperação das vendas do varejo em 2017", ainda que os consumidores sigam cautelosos.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia