Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 10h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 15/05 às 10h04min

Dólar segue exterior e abre em queda em relação ao real

Com petróleo subindo mais de 3% no momento da abertura do mercado de câmbio no Brasil, o dólar abriu em queda em relação ao real na manhã desta segunda-feira (15). Seguiu, assim, o comportamento da moeda americana ante todas as principais divisas emergentes desde cedo.
A commodity registra alta consistente nesta segunda depois de veiculada a notícia de que a Arábia Saudita e a Rússia propuseram estender cortes na produção até março de 2018 com o objetivo de reduzir os estoques globais.
"Isto, aliado à alta de outras commodities como o cobre, beneficia os ativos dos países emergentes. As bolsas destes países (medidas pelo índice MSCI) sobem pelo 6º dia seguido; e as suas moedas se valorizam frente ao dólar", escrevem os analistas da Guide Investimentos em boletim.
Dados fracos de inflação e vendas no varejo dos EUA, divulgados no fim da semana passada, também ajudavam a manter o dólar pressionado. Não há pressões de alta sobre a inflação, e o desempenho da atividade já não surpreende positivamente. Isso, portanto, tira pressão sobre o processo de normalização de juros do Fed, e aumentos mais intensos da taxa americana.
Às 9h32min desta segunda, o dólar norte-americano perdia 0,62% em relação ao real no mercado à vista e valia R$ 3,1055. O contrato para junho do dólar caía 0,59% aos R$ 3,1180. Nesse mesmo horário, a divisa dos EUA recuava perante todas as moedas emergentes e ligadas a commodities e também em relação ao euro. O petróleo subia 3,15% aos US$ 52,43 o barril do Brent na ICE em Londres - e avançava 3,43% aos US$ 49,48 o barril do WTI na Nymex em Nova Iorque.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia