Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 08h26.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

Alterada em 15/05 às 08h32min

Azul reverte prejuízo e registra lucro de R$ 55 milhões no 1º trimestre

Receita líquida da empresa aérea no primeiro trimestre desse ano atingiu R$ 1,874 bilhão

Receita líquida da empresa aérea no primeiro trimestre desse ano atingiu R$ 1,874 bilhão


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A Azul encerrou o primeiro trimestre de 2017 com um lucro líquido de R$ 55 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 67 milhões contabilizado no mesmo período do ano anterior. A margem líquida chegou a 3%, ante margem líquida negativa em 4% há um ano.
O resultado operacional (Ebit) nos primeiros três meses desse ano também melhorou, atingindo R$ 205 milhões e margem 11% - entre janeiro e março do ano passado, o Ebit somou R$ 7 milhões, com margem 0,4%.
O Ebitdar (lucro operacional antes de juros, impostos, depreciação, amortização e custos com leasing de aeronaves) avançou 35,8% entre os períodos, totalizando R$ 562 milhões. A margem Ebitdar havia alcançado 30% nos primeiros três meses de 2016, um aumento de 5,2 pontos porcentuais (p.p.) em um ano.
A receita líquida da Azul no primeiro trimestre desse ano atingiu R$ 1,874 bilhão, alta de 12,3% na comparação com o mesmo intervalo do ano passado.
O resultado financeiro líquido, por sua vez, ficou negativo em R$ 156,5 milhões no período, montante 108,6% maior que o resultado financeiro também negativo de R$ 75 milhões contabilizado entre janeiro e março do ano passado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia