Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de maio de 2017. Atualizado às 08h07.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 12/05 às 08h10min

Bolsas asiáticas fecham mistas, influenciadas por tom negativo de Nova Iorque

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta sexta-feira (12), com parte delas seguindo o tom negativo dos mercados acionários de Nova Iorque, que ontem caíram influenciadas principalmente pela forte queda de ações de grupos varejistas.
Em Tóquio, o índice Nikkei recuou 0,39% hoje, a 19.883,90 pontos, também pressionado por uma recuperação do iene ante o dólar, que acabou pesando em papéis de exportadoras japonesas, enquanto em Seul, o sul-coreano Kospi teve baixa de 0,45%, a 2.286,02 pontos.
Na China, por outro lado, o Xangai Composto subiu 0,72%, a 3.083,51 pontos, assegurando o maior ganho diário em cinco semanas, mas há suspeitas de que fundos estatais apoiados por Pequim ajudaram a sustentar os negócios nos últimos dois dias. Já o Shenzhen Composto, índice chinês de menor abrangência, teve alta marginal de 0,06%, a 1.820,20 pontos.
Em outras partes da região asiática, o Hang Seng registrou ligeiro ganho de 0,12% em Hong Kong, a 25.156,34 pontos, enquanto o Taiex apresentou leve baixa de 0,15% em Taiwan, a 9.986,82 pontos, e o filipino PSEi ficou estável em Manila, a 7.815,53 pontos.
Na Oceania, a Bolsa de Sydney foi pressionada por ações de bancos, com investidores ainda digerindo um plano do governo australiano de taxar passivos do setor. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,7%, terminando o pregão a 5.836,90 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia