Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de maio de 2017. Atualizado às 08h11.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 11/05 às 08h16min

Bolsas asiáticas fecham em alta, impulsionadas por rali do petróleo

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira (11), reagindo ao rali do petróleo nos mercados internacionais, mas as ações chinesas continuaram pressionadas.
As cotações do petróleo saltaram mais de 3% ontem e mantiveram a tendência positiva na madrugada de hoje, graças a uma queda bem mais forte do que se previa nos estoques dos EUA na semana passada.
No Japão, o índice Nikkei subiu 0,31% em Tóquio, a 19.961,55 pontos, com destaque para a petrolífera Inpex, que avançou 0,82%.
Em outras partes da Ásia, o Hang Seng garantiu sua quarta valorização seguida em Hong Kong, com alta de 0,44%, a 25.125,55 pontos, enquanto o Taiex subiu 0,33% em Taiwan, a 10.001,48 pontos, ultrapassando a barreira psicológica dos 10 mil pontos pela primeira vez em 17 anos, o sul-coreano Kospi avançou 1,16% em Seul, a 2.296,37 pontos, apagando perdas do pregão anterior e atingindo nova máxima histórica, e o filipino PSEi exibiu ganho de 0,29% em Manila, a 7.816,40 pontos.
Já na China, o Xangai Composto teve alta de 0,29%, a 3.061,50 pontos, mas só depois de chegar a recuar mais de 1% durante a sessão e se aproximar da marca de 3 mil pontos, o que gerou suspeita de que fundos apoiados por Pequim podem ter resgatado hoje a principal bolsa do país. O Shenzhen Composto, que é um índice chinês de menor abrangência, caiu 0,19%, a 1.819,15 pontos.
Nas últimas semanas, os negócios chineses vêm sendo prejudicados por preocupações com a liquidez e temores de que Pequim adote postura ainda mais agressiva no combate a riscos financeiros.
Na Oceania, a bolsa da Austrália subiu pelo segundo dia consecutivo, também ajudada pelo desempenho positivo do petróleo. O S&P/ASX 200, no entanto, acabou fechando praticamente estável em Sydney, com ganho marginal de apenas 0,05%, a 5.878,30 pontos, influenciado pela queda de ações de alguns grandes bancos domésticos. No melhor momento da sessão de hoje, o índice australiano chegou a subir 0,8%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia