Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de maio de 2017. Atualizado às 10h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

10/05/2017 - 10h18min. Alterada em 10/05 às 10h18min

Dólar cai com exterior, Previdência e queda de juros com IPCA

O dólar opera em baixa desde a abertura nesta quarta-feira (10), precificando a queda externa da moeda norte-americana. Pesam ainda o recuo dos juros futuros na esteira do fraco Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril e em 12 meses e o envio da reforma da Previdência para o plenário da Câmara, após a conclusão da votação na comissão especial na terça-feira à noite, também.
O IPCA em abril e em 12 meses reforça perspectiva de aceleração do corte da taxa Selic, o que tende a beneficiar uma recuperação mais rápida da economia doméstica e poderia atrair fluxo de investimentos estrangeiros para o País, disse um operador de uma corretora.
O índice oficial de inflação do Banco Central subiu 0,14% no mês passado, ficando abaixo da mediana das projeções (0,15%) e no menor nível para o mês desde 1994. A taxa acumulada no ano foi de 1,10% e, em 12 meses, de 4,08% - abaixo do centro da meta de inflação do BC (4,5%).
O mercado de câmbio reage ainda à queda do Dollar Index e da moeda norte-americana ante divisas emergentes no exterior, em meio à alta de commodities, após o aumento da inflação ao consumidor na china acima do esperado em abril.
Os investidores repercutem a demissão, na terça, do diretor do FBI, James Comey, pelo presidente dos EUA, Donald Trump. A Casa Branca atribuiu a decisão à forma como Comey lidou com a questão dos e-mails da democrata Hillary Clinton.
Às 9h50min, o dólar à vista caía 0,56%, aos R$ 3,1666. O dólar futuro para junho recuava 0,79%, aos R$ 3,1845. Lá fora, o Dollar Index cedia 0,12%.
A moeda americana recuava também frente às principais divisas emergentes e ligadas a commodities, como dólar australiano (-0,33%), peso chileno (-0,59%), peso mexicano (-0,43%), dólar neozelandês (-0,57%), rublo (-0,67%), lira turca (-0,86%) e rand sul africano (-0,83%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia