Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de maio de 2017. Atualizado às 10h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Juros futuros recuam com dólar, IPCA e Previdência

Os juros futuros recuam nesta quarta-feira (10), embalados pela queda do IPCA em abril e em 12 meses, que reforça perspectiva de aceleração do corte da taxa Selic, além do dólar mais fraco ante o real.

O IPCA de abril subiu 0,14%, ficando abaixo da mediana das projeções (0,15%) e no menor nível para o mês desde 1994. A taxa acumulada pela inflação no ano foi de 1,10%. No acumulado em 12 meses, o IPCA foi de 4,08% - abaixo do centro da meta de inflação do BC (4,50%). O IBGE informou que os principais itens que pesaram no indicador foram as despesas com habitação, conta de luz e combustíveis.

Além disso, o encaminhamento da reforma da Previdência para o plenário da Câmara e perspectiva de que as reformas sejam aprovadas, em meio à aproximação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e do presidente Michel Temer, contribuem também para o bom humor.

Às 9h25min desta quarta, o DI para janeiro de 2018 estava em 9,290%, na mínima, de 9,367% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2019 estava em 9,14%, na mínima, de 9,21% anteriormente. Já o contrato para janeiro de 2021 tinha taxa de 9,83%, de 9,88% no ajuste anterior. No câmbio, o dólar à vista caía 0,56%, aos R$ 3,1666 no mesmo horário, enquanto o dólar futuro para junho recuava 0,83%, aos R$ 3,1835.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia