Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de maio de 2017. Atualizado às 21h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

balanços

Alterada em 09/05 às 21h53min

Gafisa: prejuízo cresce 97%, para R$ 126,1 milhões no 1º trimestre

A Gafisa encerrou o primeiro trimestre de 2017 com prejuízo líquido de R$ 126,1 milhões, excluindo-se a equivalência de Alphaville e efeitos da cisão da Tenda. Com isso, o prejuízo cresceu 97% em relação ao primeiro trimestre de 2016, quando a construtora reportou resultado líquido negativo de R$ 64,1 milhões.
Em sua apresentação de resultados, a Gafisa atribuiu a piora ao alto ambiente recessivo da economia brasileira, com volume elevado de distratos; ao efeito negativo no resultado financeiro, por conta do impacto contábil na repactuação de algumas dívidas de SFH; e ao mix de venda, concentrado em unidades mais novas.
O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi negativo em R$ 47,3 milhões, o que denota piora frente ao Ebitda ajustado negativo de R$ 12,2 milhões na mesma base de comparação anual.
A receita líquida totalizou R$ 136,5 milhões, uma redução de 20,1% na comparação anual. O faturamento foi impactado pelo mix de vendas líquidas do período, com maior concentração de vendas de produtos mais recentes e com menor evolução de obra.
Como consequência, houve menor contabilização da receita - já que o faturamento do setor é contabilizado de acordo com a evolução da obra (método POC).
A companhia realizou um maior volume de provisão para distratos, com efeito redutor de R$ 4,1 milhões na receita bruta.
O resultado financeiro líquido no primeiro trimestre foi negativo em R$ 28,6 milhões, comparado ao resultado líquido negativo de R$ 1,1 milhão no mesmo período do ano anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia