Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de maio de 2017. Atualizado às 10h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

bancos

Alterada em 08/05 às 10h06min

Lucro líquido da BB Seguridade soma R$ 992,8 milhões no 1º trimestre

Holding controla os negócios de seguros do Banco do Brasil

Holding controla os negócios de seguros do Banco do Brasil


Marcelo Camargo/ABR/JC
A BB Seguridade, holding que controla os negócios de seguros do Banco do Brasil, reportou lucro líquido ajustado de R$ 992,8 milhões nos três primeiros meses do ano, cifra 3,7% maior que a registrada um ano antes, de R$ 957,684 bilhões. Em relação ao quarto trimestre de 2016, quando somou R$ 1,075 bilhão, a cifra foi 7,6% menor.
Considerando ajustes, porém, o resultado teria crescido 1,1% no comparativo trimestral. Isso porque no quarto trimestre do ano passado, a BB Seguridade registrou eventos não recorrentes como a mudança na metodologia de apuração das despesas de PIS/PASEP e Cofins e ainda desvalorização no montante bruto de R$ 176,1 milhões do investimento da BB Seguros na Mapfre BB SH2, após teste de imparidade.
No primeiro trimestre, o resultado da BB Seguridade, conforme explica a empresa em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, foi justificado pelo crescimento de 11% do resultado operacional não decorrente de juros combinado, parcialmente compensado pela queda de 10,4% do resultado financeiro combinado, ambos líquidos de efeitos tributários. "O resultado do período foi suportado principalmente pela performance da BB Corretora, impulsionada pelo forte desempenho comercial do período, com destaque para os segmentos de rural e previdência", destaca a holding.
A BB Seguridade acrescenta, porém, que a redução da taxa Selic e a queda da inflação impactaram o retorno de títulos pós-fixados e de títulos remunerados à inflação classificados na categoria mantidos até o vencimento, afetando o resultado financeiro de todas as companhias do conglomerado.
O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio (ROE, na sigla em inglês) foi de 47,3% ao final de março, queda de 2,6 pontos porcentuais em um ano. Na comparação com dezembro, encolheu 4,9 p.p. O patrimônio líquido da holding foi a 9,289 bilhões, aumento de 8,9% em 12 meses e de 12,1% em três meses.
Os ativos totais da BB Seguridade somaram R$ 9,298 bilhões no primeiro trimestre, aumento de 9% em um ano. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, houve queda de 6,7%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia