Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 05 de maio de 2017. Atualizado às 15h57.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado externo

05/05/2017 - 15h13min. Alterada em 05/05 às 15h59min

Paraguai quer ser a China da América Latina

Paraguai criou Lei Maquila que oferece atrativos como isenção de impostos e menor custo de energia

Paraguai criou Lei Maquila que oferece atrativos como isenção de impostos e menor custo de energia


AGÊNCIA IP/DIVULGAÇÃO/JC
Thiago Copetti
O interesse de empresas gaúchas em ter bases no Paraguai, que oferece um rol de incentivos e já é vista como a China da América Latina, cresceu nos últimos meses, garante o advogado especialista em Direito Internacional e sócio da Panamericana Associados (Panconsult), com sede em Curitiba, Rodrigo Zanettini. Segundo o sócio da Panconsult, que atua no assessoramento para operações no país integrante do Mercosul, empresários do Estado estão entre os que mais buscam informações sobre os atrativos paraguaios, que vão de energia 90% mais barata, regras trabalhistas mais flexíveis - como jornada semanal é de 48 horas e período de férias bem menor e condicionado ao tempo de contrato - e menos impostos. 
Esses atrativos e o ambiente de atração foram detalhados em reportagem publicada em fevereiro pelo Jornal do Comércio. Zanettini participou de uma entrevista no Estúdio do JC e detalhou a política do país sul-americano e o impacto do fluxo migratório. "Energia barata, impostos reduzidos e menos encargos trabalhistas estão os benefícios que também têm despertado o interesse de empresários do Rio Grande do Sul em abrir uma unidade no país, especialmente como base para exportações", diz o advogado.
Nos primeiros meses de 2017, a Panconsult acompanhou 16 empresários em viagens ao Paraguai para conhecer melhor a Lei de Maquila, que reúne os incentivos. "São duas a três viagens por mês. E temos mais cinco grupos agendados para este ano", contabiliza Zanettini, que tem sua base de trabalho no Estado em Caxias do Sul.
Os conhecimentos do gaúcho já foram demandados até mesmo pelo governo da Suíça, que teria interesse, segundo o consultor, de transformar o Paraguai em uma base de comércio para empresas do país. "Estamos trabalhando na formatação da Câmara de Comércio Suíça/Paraguai. Vamos auxiliar empresas de lá (Suíça) que queiram se instalar em cidades como Cidade del Este, Assunção e arredores", explica Zanettini.
Leia mais:
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/01/29/206x137/1_paraguai-1461164.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'588e54300b462', 'cd_midia':1461164, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/01/29/paraguai-1461164.jpg', 'ds_midia': 'arte p 12', 'ds_midia_credi': 'jc', 'ds_midia_titlo': 'arte p 12', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '596', 'cd_midia_h': '377', 'align': 'Left'}
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia