Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de maio de 2017. Atualizado às 14h53.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 04/05 às 14h54min

Bolsas europeias sobem com balanços positivos e otimismo com eleição francesa

Agência Brasil
As bolsas europeias fecharam em alta nesta quinta-feira, beneficiadas por uma leva de balanços positivos e por um sentimento de alívio com a situação política na França, onde um debate televisionado feito às vésperas do segundo turno terminou com a vitória do candidato centrista, Emmanuel Macron. Apesar do tombo do petróleo e dos minerais industriais, o índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou em alta de 0,67%, aos 391,98 pontos, próximo do maior patamar em 21 meses.
O setor bancário esteve entre os de melhor desempenho na sessão, com destaque para as ações do HSBC, que subiram 2,88% após a instituição anunciar um lucro maior que o esperado no primeiro trimestre. Os papéis do alemão Commerzbank tiveram ganho de 3,09% na sessão, enquanto o francês Société Générale terminou com alta de 0,62% mesmo após postar uma queda de 19% nos lucros no primeiro trimestre.
Por outro lado, mineradoras e petrolíferas como a Anglo American (-4,16%) e a Repsol (-0,62%), cujo aumento do endividamento no trimestre não agradou investidores, foram penalizadas pela forte queda das commodities. Por outro lado, a Shell A conseguiu encerrar com ganho de 0,35% depois que a empresa anunciou um lucro quatro vezes maior no trimestre.
A vitória do Emmanuel Macron no debate presidencial de ontem foi outro fator que deu ânimo aos mercados de maneira generalizada. "Uma aparição confiante de Macron, o favorito do mercado, diminuiu ainda mais as chances de Marine Le Pen", afirmou um analista da London Capital Group.
Em Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,19%, aos 7.248,10 pontos, após flertar com a queda no final da sessão, na esteira do petróleo. Em Paris, o CAC-40 fechou na máxima, aos 5.372,42 pontos (+1,35%).
Em Frankfurt, o DAX subiu 0,96%, aos 12.647,78 pontos, pouco abaixo da máxima histórica de 12.648.20 pontos. Em Milão, o FTSE-Mib avançou 1,98%, aos 21.169,92 pontos.
Em Madri, o Ibex-35 subiu 1,62% aos 11.012,90 pontos; e em Lisboa, o PSI-20 avançou aos 5.235,50 pontos (1,76%). Ambos os índices também fecharam nas máximas. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia