Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de maio de 2017. Atualizado às 18h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

reforma da previdência

Alterada em 03/05 às 18h54min

Se País não fizer reformas juros voltarão a subir, diz Marcus Pestana (PSDB-MG)

agência estado
O deputado Marcos Pestana (PSDB-MG) afirmou nesta quarta-feira (3), em discurso na comissão especial da reforma da Previdência, que o parecer do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) sobre a proposta ainda precisa ser "lapidado". O tucano elogiou o relatório do parlamentar baiano, mas disse que há questões "pontuais" que ainda precisam serem discutidas, entre eles, a questão da aposentadoria por invalidez.
Pestana previu que, se o País não aprovar as reformas, as taxas de juros voltarão a subir. Na avaliação do tucano, cenas como a dos protestos ontem no Rio de Janeiro são "premonitórias" e podem ocorrer em todo o Brasil, caso essas propostas não sejam aprovadas. Ele afirmou que os mais jovens serão os que mais vão ser prejudicados, caso as mudanças nas regras previdenciárias não sejam aprovadas pelo Congresso Nacional.
O parlamentar mineiro chamou de "falácia" a crítica de que a reforma da Previdência atinge principalmente os mais pobres. "Os mais pobres já se aposentam em idade avançada e com até três salários mínimos. As altas aposentadorias e as aposentadorias precoces estão concentradas em porcentual muito baixo da população brasileira", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia