Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de maio de 2017. Atualizado às 13h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 03/05 às 13h57min

Bolsas da Europa fecham sem direção única com balanços e preços do cobre

Os principais índices acionários europeus fecharam sem direção única nesta quarta-feira (3) próximos da estabilidade, influenciados por balanços negativos e pelo recuo dos preços de minerais na esteira do tombo do cobre. O movimento afetou as mineradoras, que carregaram para baixo o índice pan-europeu Stoxx 600, que encerrou em queda de 0,04%, aos 389,37 pontos.
A negociação desta quarta ocorreu às vésperas da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que sai às 15 horas (de Brasília). A maior parte dos investidores acredita que a instituição vai manter inalterados os juros. Um dos maiores questionamentos, por outro lado, é se haverá ou não sinalizações sobre os próximos movimentos passos do Fed.
Em Londres, o índice FTSE-100 encerrou em queda de 0,21%, aos 7.234,53 pontos, pressionado pelo desempenho de mineradoras como Antofagasta (-2,41%) e BHP Billiton (-2,01%), que sofreram com o tombo superior a 3,0% do cobre na sessão. A rede de supermercados Sainsbury, no entanto, liderou as perdas com queda de 5,72% após cortar os dividendos esperados para este ano em 16%.
Entre os indicadores econômicos de destaque, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,5% no primeiro trimestre do ano ante os últimos três meses de 2016 e teve expansão anual de 1,7% no período, números que vieram em linha com a expectativa dos analistas. Já o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da região caiu 0,3% em março ante fevereiro, ante previsão de estabilidade.
Na Alemanha, o índice DAX encerrou com ganho de 0,16%, aos 12.527,84 pontos, após ter tocado a máxima histórica de 12.532 pontos durante a sessão. A Fresenius foi um dos destaques, subindo 2,59% após elevar sua perspectiva para os lucros no ano. A Hugo Boss, por outro lado, caiu 2,86% após seu balanço mostrar recuo das vendas online no 1º trimestre. Em Paris, o índice CAC-40 cedeu 0,06%, aos 5.301,00 pontos.
Em Milão, o FTSE-Mib encerrou em alta de 0,13%, aos 20.759,31 pontos. Em Madri, o Ibex-35 subiu 0,15%, aos 10.837,00 pontos e, em Lisboa, o PSI-20 avançou 0,52%, aos 5.144,84 pontos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia