Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de maio de 2017. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Defesa Aérea

Notícia da edição impressa de 01/06/2017. Alterada em 31/05 às 22h35min

Tucano terá avaliação feita pela Força Aérea dos EUA

Aeronave da Embraer é a única do gênero com certificado norte-americano e uso por 12 países no mundo

Aeronave da Embraer é a única do gênero com certificado norte-americano e uso por 12 países no mundo


EMBRAER/EMBRAER/DIVULGAÇÃO/JC
A aeronave A-29 Super Tucano, da Embraer, um monoposto para ataque e reconhecimento armado, participará de uma avaliação da Força Aérea dos Estados Unidos (Usaf) para analisar eventuais opções de aviões de ataque. Em nota, a Embraer informa que, em conjunto com seu parceiro Sierra Nevada Corporation (SNC), foi convidada a participar da "Avaliação de Capacidade de Plataformas de Ataque Leve" da Usaf, que começará em julho, na Base Aérea de Holloman, no Novo México (EUA).
O Super Tucano é uma aeronave turboélice de ataque leve e de treinamento avançado, que incorpora os últimos avanços em aviônicos e armamentos. Concebido para atender aos requisitos operacionais da Força Aérea Brasileira (FAB), o Super Tucano é uma aeronave de ataque tático, capaz de operar na Amazônia brasileira em proveito do projeto Sipam/Sivam, e de utilização como avião de treinamento inicial para pilotos de caça.
Pelas características da região Amazônica (extensa área de floresta fechada, com alta incidência de chuvas, altas temperaturas e umidade elevada) e de ameaça (baixa intensidade) na qual iria atuar, foi definido pela Força Aérea Brasileira que a aeronave deveria ser um turboélice, de ataque, com grande autonomia e raio de ação, capaz de operar tanto durante o dia quanto à noite, em qualquer condição meteorológica, a partir de pistas curtas e desprovidas de infraestrutura, entre outras.
O teste norte-americano, conhecido como "OA-X", faz parte dos esforços da Força Aérea dos Estados Unidos para avaliar os benefícios a serem obtidos com a aquisição de novos aviões de ataque leves e de baixo custo. As aeronaves não devem demandar futuros desenvolvimentos para fornecer apoio aéreo tático e em outras missões em ambientes permissivos e semipermissivos, além de proporcionar a redução dos custos de treinamento de pilotos de caça.
Em nota, a Embraer ressalta que o A-29 Super Tucano é o único avião de apoio aéreo tático do mundo a obter um certificado de tipo militar da Usaf. Atualmente, a aeronave é operada por outras 12 forças aéreas no mundo. "O A-29 é especialmente adequado para treinar pilotos de caça e torná-los proficientes", afirma, em nota, o presidente da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider. "Isso significa pilotos melhor treinados, mais rapidamente e de forma mais barata, permitindo que outras plataformas possam executar as missões que desempenham melhor."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia