Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de abril de 2017. Atualizado às 15h10.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

Alterada em 27/04 às 15h13min

Ministros reassumem pastas após votação da Reforma Trabalhista

Os quatro ministros do presidente Michel Temer que retornaram à Câmara nesta quarta-feira (26) para reforçar os votos favoráveis à Reforma Trabalhista já reassumiram suas respectivas pastas. A nomeação de Bruno Araújo (Cidades), Mendonça Filho (Educação), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) e Ronaldo Nogueira (Trabalho) estão publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 27.
A ideia inicial de Temer era exonerar temporariamente somente três titulares: Bruno Araújo, Mendonça Filho e Coelho Filho, como foi publicado no Diário Oficial na manhã de quarta-feira. À noite, entretanto, em meio a debates acalorados e protestos no Congresso, o presidente decidiu exonerar, de última hora, o ministro do Trabalho, deputado licenciado Ronaldo Nogueira (PTB). A decisão saiu em edição extraordinária da publicação oficial.
O texto principal da Reforma Trabalhista foi aprovado nesta quarta no plenário da Câmara por 296 votos a favor e 177 contra. Foram dez horas de sessão até o resultado, que veio por volta das 22h30.
A conclusão da votação da matéria ocorreu na madrugada, quando os deputados rejeitaram dez destaques e aprovaram um - o que restringe a penhora em casos de ação trabalhista. O projeto agora segue para a apreciação do Senado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia