Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 23 de abril de 2017. Atualizado às 22h47.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Corrupção

Notícia da edição impressa de 24/04/2017. Alterada em 23/04 às 22h42min

Em frangalho político, Rio de Janeiro viverá crise por até 10 anos

Mergulhado em caos econômico, político e social, o Rio de Janeiro tenta entender como chegou à maior crise de sua história. O rombo do estado neste ano, de R$ 22 bilhões, é resultado de uma combinação que inclui recessão econômica, apagão da indústria de óleo e gás em decorrência dos problemas na Petrobras, queda da arrecadação e déficit previdenciário. "A situação é falimentar", diz o secretário da Fazenda, Gustavo Barbosa. A Federação das Indústrias do Estado do Rio prevê que o Rio de Janeiro voltará a arrecadar mais do que gasta somente em 2029. Apenas em 2038 o estado será capaz de pagar os juros e a amortização da dívida com a União. A corrupção por toda a administração agravou o quadro e acabou por levar à prisão um ex-governador, ex-secretários e cinco conselheiros do TCU.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia