Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 15h29.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

justiça eleitoral

Alterada em 19/04 às 15h29min

Dilma reage e diz que nunca autorizou caixa dois

Dilma reagiu às denúncias do publicitário João Santana e sua sócia e mulher Mônica Moura

Dilma reagiu às denúncias do publicitário João Santana e sua sócia e mulher Mônica Moura


EVARISTO SA/AFP/JC
A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (19) que nunca autorizou caixa dois em suas campanhas. Em nota divulgada por sua assessoria de imprensa, Dilma reagiu às denúncias do publicitário João Santana e sua sócia e mulher Mônica Moura - seus marqueteiros em 2010 e em 2014 - de que receberam recursos não contabilizados das campanhas da petista.
"Dilma Rousseff nunca autorizou, em suas campanhas, a arrecadação de recursos por meio de caixa dois", afirma o texto de sua assessoria. "As únicas pessoas autorizadas a captar dinheiro, em conformidade com a legislação eleitoral, foram os tesoureiros regularmente investidos nessas funções nas campanhas de 2010 e 2014."
João Santana e Mônica Moura foram ouvidos nesta terça (18) pelo juiz federal Sérgio Moro, na ação penal em que o casal é réu ao lado do ex-ministro Antonio Palocci e o empreiteiro Marcelo Odebrecht.
Segundo a nota, "nas duas eleições, a orientação de Dilma Rousseff sempre foi clara e direta para que fosse respeitada a legislação eleitoral em todos os atos de campanha".
"Ela nunca teve conhecimento de que suas ordens tenham sido desrespeitadas", afirma a assessoria de imprensa da petista. "Todos que participaram nas instâncias de coordenação das duas campanhas sempre tiveram total ciência dessa determinação."
Dilma disse que espera "isenção e imparcialidade" das investigações da Operação Lava Jato. "Que permitam ao final que a Justiça seja feita, em respeito ao Estado Democrático de Direito."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia