Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de abril de 2017. Atualizado às 00h28.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

lista de fachin

Notícia da edição impressa de 13/04/2017. Alterada em 12/04 às 21h26min

Temer diz que governo não pode ficar paralisado

Michel Temer presidiu cerimônia 'em prol das mulheres' no Planalto

Michel Temer presidiu cerimônia 'em prol das mulheres' no Planalto


BETO BARATA /PR/JC
Um dia após a divulgação da lista de Fachin, o presidente Michel Temer (PMDB) disse que o governo não pode ficar paralisado, assim como o Congresso e o Poder Judiciário. Em mais uma cerimônia "em prol das mulheres" no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira, Temer afirmou que, se não houver cuidado, os Poderes não operam.
"Aqui no Brasil, se não tomarmos cuidado, daqui a pouco, vão dizer que o Executivo não opera, o Legislativo não opera, o Judiciário não opera. E não é assim", declarou o presidente, citado em dois inquéritos abertos pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, escreveu que Temer tem "imunidade temporária" por ocupar cargo de presidente, não podendo ser investigado por atos estranhos ao exercício de suas funções.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia