Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de abril de 2017. Atualizado às 22h47.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça

Notícia da edição impressa de 11/04/2017. Alterada em 10/04 às 22h46min

É preciso apurar vazamentos para evitar anulações, diz Cármen Lúcia

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, disse ontem, em Washington, que é preciso que se apure a origem de vazamentos sobre delações premiadas para evitar que as contribuições sejam anuladas, beneficiando partes envolvidas no depoimento. "É preciso realmente que se apure, para que depois não se diga que (o vazamento) foi nos órgãos do Estado, porque às vezes são pessoas de fora. E é claro que há acesso, podem ter pessoas que falem, pessoas da família (de envolvidos) falam", disse a ministra, em conferência no Wilson Center.
"Então não se pode tentar, com isso, criar nulidades que vão beneficiar aquele que deu causa à essa situação", afirmou, sem citar a Operação Lava Jato.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia