Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 09 de abril de 2017. Atualizado às 13h26.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

05/04/2017 - 12h29min. Alterada em 05/04 às 12h29min

Moro manda KPMG informar se identificou corrupção de Lula na Petrobras

O juiz federal Sérgio Moro mandou a empresa de auditoria KPMG informar "se, durante a realização de auditoria na Petrobras, foi identificado algum ato de corrupção ou ato ilícito com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva". O magistrado estabeleceu o prazo de 30 dias.
"Solicito a Vossa Senhoria que informe a este Juízo, o prazo de 30 dias, se, durante a realização de auditoria na Petrobras, foi identificado algum ato de corrupção ou ato ilícito com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com, se positivo, o envio de cópia", determinou Moro.
A solicitação foi feita em 13 de março e anexada no dia 31 aos autos da ação penal na qual o petista é réu por corrupção e lavagem de dinheiro. Lula responde ao processo que o liga a contratos firmados entre a Petrobras e a Construtora Norberto Odebrecht S/A.
Nesta denúncia, a propina, equivalente a porcentuais de 2% a 3% dos oito contratos celebrados entre a Petrobras e a Odebrecht, seria de R$ 75.434.399,44.
Segundo o Ministério Público Federal, o valor teria sido repassado a partidos e políticos que davam sustentação ao Governo Lula - PT, PP e PMDB -, a agentes públicos da Petrobras e aos responsáveis pela distribuição das vantagens ilícitas, "em operações de lavagem de dinheiro que tinham como objetivo dissimular a origem criminosa do dinheiro".
A acusação aponta que parte do valor das propinas pagas pela construtora foi lavada mediante a aquisição, em benefício do ex-presidente, de um imóvel, em São Paulo, em setembro de 2010, que seria usado para a instalação do Instituto Lula.
O acerto do pagamento da propina destinada ao ex-presidente, afirma a força-tarefa da Lava Jato, foi intermediado pelo ex-ministro Antonio Palocci, com o auxílio de seu assessor parlamentar Branislav Kontic. Ambos, segundo a Procuradoria da República, mantinham contato direto com Marcelo Odebrecht, a respeito da instalação do espaço institucional pretendido pelo ex-presidente.
O valor total de vantagens ilícitas empregadas na compra e manutenção do imóvel, até setembro de 2012, chegou a R$ 12,422 milhões, de acordo com a força-tarefa da Lava Jato. Os procuradores afirmam que os valores constam de anotações de Odebrecht, planilhas apreendidas na sede da DAG Construtora Ltda. e dados obtidos em quebra de sigilo bancário.
Além disso, o Ministério Público Federal afirma que parte das propinas que teriam sido destinadas a Glaucos da Costamarques, parente de José Carlos Costa Marques Bumlai - pecuarista amigo de Lula -, por sua atuação na compra do terreno para o Instituto Lula foi repassada para o ex-presidente na forma da aquisição da cobertura contígua à sua residência em São Bernardo de Campo, na Grande São Paulo.
A denúncia aponta que a nova cobertura, que foi utilizada pelo ex-presidente, foi adquirida em nome de Costamarques, "que atuou como testa de ferro de Luiz Inácio Lula da Silva".
Segundo a Procuradoria, para "dissimular" a propriedade do imóvel, foi assinado "um contrato fictício de locação" com Glaucos da Costamarques, datado de fevereiro de 2011. As investigações indicaram, afirmam os procuradores, "que nunca houve o pagamento do aluguel até pelo menos novembro de 2015".
O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, se manifestou à reportagem por meio de nota. "A Petrobras mantinha e mantém um sofisticado sistema de controle interno e externo de suas atividades. O controle externo era - e é - realizado por renomadas empresas de auditoria, como Ernest&Young, KPMG e Pricewaterhousecoopers, que jamais indicaram em seus relatórios de auditoria qualquer ato ilícito, muito menos envolvendo o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva", escreveu.
"Em 2010, a Petrobras fez a segunda maior emissão de ações da história, no valor de R$ 115,041 bilhões, precedida de minuciosa auditoria coordenada por renomados bancos, auditores e escritórios de advocacia, que, igualmente, jamais indicaram a prática de qualquer ilícito, muito menos envolvendo o ex-Presidente. Em documento denominado 'Prospecto Definitivo da Oferta Pública de Distribuição Primária de Ações Preferenciais de Emissão da Petrobras', realizado com elevado padrão de diligência conforme exigido por atos normativos específicos, existe a afirmação textual que a Petrobras 'não está envolvida em corrupção'", continua o advogado.
"Todos esses documentos, emitidos por conceituadas instituições nacionais e internacionais, demonstram que não havia possibilidade de Lula ter conhecimento da prática de eventuais atos ilícitos na Petrobras e muito menos que deles tenha participado."
"Por isso, fomos nós, advogados de Lula, que requeremos a juntada desses documentos à ação penal nº 506313017.2016.4.04.7000/PR, na certeza de que tornam evidente o caráter frívolo das acusações impostas a Lula, reforçando sua inocência", finaliza Zanin.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
João 09/04/2017 10h07min
O Lula é boi de piranha, Moro aliado dos adversários querem tirar ele de 2018 de qualquer jeito, já tem 3 anos que estão tentando prender, se apegam a qualquer coisa p isso, em uma investigação desse nível, n conseguem nada e n larga o osso, se apega até a pedalinhos de 2 mil reais para provar que é dono do sítio,, juiz ridículo, partidário, sou a favor de investigar, mais n essa seletividade.
Eustaquio Mendonça 08/04/2017 22h05min
O irresponsável que criou o caos do Brasil se propondo e levando seu partido a patrocinar junto com o PMDB um golpe sujo, inconstitucional e anti democrático é o Senhor Aécio Neves, derrotado nas urnas em 2014 e em seu Estado natal MG pelo PT. Este senador é o principal golpista e culpado pelo caos político e econômico do Brasil atual, as urnas e a história não o perdoarão. Quanto à Lava Jato, é espetacular, mas visa destruir apenas PT e LULA. quanto ao PSDB: Não vem ao caso. Isto é triste !!!
adalberto leite cavalcante 08/04/2017 16h08min
Custo a entender como pode ter ocorrido um rombo na petrobrás, a compra da refinaria de Pasedina, no Texas, aos olhos do ex-presidente, ministros, e ele LULA não tomou nenhuma providência ? Só pode ter agido por pura conveniência da situação. Se fossemos um país, como o Peru, aqui pertinho, ou Coreia do Sul, esse cidadão LULA já estaria a muito, PRESO, e com pena de 30 anos, pelo menos, devido ao estrago que ele permitiu.
Manoel Argolo 08/04/2017 12h49min
Decididamente, o juiz Sérgio Moro acaba de aprovar no Direito a brasileira a presunção de culpa, mas porque só para Lula?
João Maurício Costa 08/04/2017 10h36min
Engraçado é ler que o Juiz não pode produzir prova (sim, ele pode, embora entenda que essa parte do Código de Processo Penal deva sofrer alteração, alias o CPP como todo merece uma profunda reformulação). Quem deve produzir a prova é o MP (órgão acusador), mas nada impede, pelo menos na legislação vigente que ele o produza a fim de sanar dúvidas.
Laercio de Almeida 08/04/2017 08h50min
Acredito que se o objetivo é investigar propina, deve-se investigar se houve corrupção, seja de quem quer que a tenha feito. Indagar se houve corrupção da parte de um ou de outro é busca dirigida. Lula é a vítima desse senhor. Merece repúdio.
João Carlos Bombilio 08/04/2017 08h20min
Veja que os advogados do lula já estão tentando distorcer uma situação, que na minha visão, é simples e objetiva.nO lula não tem nada a temer se não fez nada. mais como todos os Brasileiros informados, sabemos que ele esta mais sujo que pau de galinheiro, lula vc tem que ser homem nesta hora e falar a verdade, porque mais cedo ou mais tarde vai aparecer, e acho que vc vai a pé pra Curitiba pra ser preso
Barezze 08/04/2017 00h53min
O juiz demoro sabe que se não conseguir transformar "convicção " em prova sua carreira até o stf estará comprometida ,terá que atravessar um rio infestado de piranhas,o Teori navegou e afundou nessas águas,para não ir a pique vai precisar de um boi.............O boi de piranha... ele não tem prova mas tem convicção que o nome do boi é LULA
Angelo 08/04/2017 00h33min
Moro, o juiz com vocação pra Delegado.
demostenes 07/04/2017 20h18min
É evidente que a auditoria vai inocentar o maior BANDIDO de todos os tempos e para tristeza e azar nosso, nasceu no Brasil. Penso que a pressão foi demasiadamente grande e sem contar com apoio o grande juiz Sergio Mouro acabou cedendo, pois estaria correndo o risco de morte. Rogo a DEUS para que meu pensamento esteja errado e o crápula do luladrão e seus comparsas sejam punidos no rigor da lei.
Lazaro William Gonçalves 07/04/2017 19h50min
Num pais mandado pele Rede Bobo, esperar o q esse Juiz amigo dos poderosos nunca vai atuar de forma isenta.
Adriano Matthiesen Granja 07/04/2017 17h42min
Não entendo essa investigação dirigida. O juiz deveria questionar sobre os crimes e quem são os criminosos, não ficar buscando um jeito de incriminar uma vitima previamente escolhida.
Antonio Kulaif 07/04/2017 17h15min
Quando um juiz estupra a constituição continuadamente como Moro faz, deixa de ser juiz. Quando um juiz provinciano, pentecostal que do alto da sua ignorância aceita viagens pagas pelos americanos, deixa de ser juiz.nMoro não passa, no mínimo de um sociopata ou de um agente americano com a função de destruir a economia do país.nSe quisesse mesmo combater a corrupção, teria preservado as empresas e jamais aceitaria presentes da Globo envolvida até o pescoço nas falcatruas.
sergio josé correa 07/04/2017 16h56min
Chega em boa hora esta notícia. Como auditor de profissão, estava intrigado do porque não se questionaram as empresas de auditoria independente sobre os pareceres emitidos e a situação da empresa. é sabido que as revisões são técnicas e por amostragem, mas acho difícil não ter sido detectado nenhuma falcatrua. n