Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 02 de abril de 2017. Atualizado às 22h35.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

TCU

Notícia da edição impressa de 03/04/2017. Alterada em 02/04 às 22h38min

Ex-parlamentares são maioria no Tribunal de Contas da União

Dos nove ministros titulares do Tribunal de Contas da União (TCU), responsável por analisar as contas do governo federal, seis exerceram mandatos eletivos e um, de origem técnica, foi indicado ao cargo pelo Senado, com apoio de partidos políticos.
Na composição do TCU, conforme a Constituição de 1988, três ministros são indicados pela Câmara, três pelo Senado e três, pela presidência da República - dois deles são obrigatoriamente escolhidos no corpo técnico do órgão, um entre auditores e um entre membros do Ministério Público. A formatação favorece a prevalência de indicados por parlamentares no plenário do tribunal. Todos os três ministros indicados pela Câmara são ex-deputados: Aroldo Cedraz, Augusto Nardes e Ana Arraes. Entre os três indicados pelo Senado, Raimundo Carreiro, atual presidente da corte, teve curta carreira política, como vereador em São Raimundo das Mangabeiras (MA) pelo PMDB. Em 2007, foi nomeado ministro com o apoio do ex-presidente José Sarney (PMDB-AP). Vital do Rêgo Filho é o único ministro que foi senador, pelo PMDB da Paraíba. Contou com o apoio de Renan Calheiros.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia