Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de abril de 2017. Atualizado às 16h03.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

ESTADOS UNIDOS

Alterada em 24/04 às 16h06min

EUA não ficarão paralisados e haverá acordo sobre teto da dívida, diz porta-voz

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, afirmou nesta segunda-feira que há negociações em andamento entre lideranças políticas em Washington sobre o financiamento do muro com o México e também sobre a verba necessária para evitar a paralisação do governo e impedi-lo de atingir o chamado teto da dívida. Spicer disse esperar que ocorra um anúncio em breve sobre o muro, mas não quis entrar em detalhes sobre o assunto, com o argumento de que o diálogo ainda está em andamento e de que não queria se adiantar a um anúncio do presidente Donald Trump. Além disso, o porta-voz mostrou-se confiante de que haverá um acordo no Congresso para definir o orçamento do governo e evitar que seja atingido o teto da dívida. "O governo não ficará paralisado" , afirmou.
Spicer comentou também que o governo Trump está "muito orgulhoso" do que conseguiu fazer até aqui, pouco antes de completar os primeiros 100 dias de governo, no sábado. Segundo ele, vários avanços foram feitos, mas muitas mudanças políticas devem ainda ser conseguidas no decorrer do governo. Spicer também repetiu que o governo ainda deseja aprovar uma reforma na saúde, mas sem se comprometer com uma data para isso. Além disso, disse que Trump já "deixou claro que infraestrutura é uma prioridade para ele", embora o governo queira primeiro aprovar a reforma na saúde e a tributária.
Durante a entrevista coletiva em Washington, Spicer também lamentou a morte de um monitor americano na Ucrânia e pediu que seja cumprido o acordo de Minsk para acabar com a violência no país. O monitor, um paramédico que ainda não teve a identidade divulgada, morreu após pisar em uma mina. Os EUA já impuseram sanções à Rússia por seu comportamento na vizinha Ucrânia, após Moscou anexar a Crimeia e apoiar separatistas no leste ucraniano.
Em relação à Coreia do Norte, o porta-voz do governo americano elogiou o nível de engajamento "muito positivo" da China para lidar com a questão, sem entrar em detalhes. Sobre a eleição francesa, disse apenas que cabe ao povo do país eleger seu próximo líder e que os EUA não se envolverão nesse assunto doméstico.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia