Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de abril de 2017. Atualizado às 00h28.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 13/04/2017. Alterada em 13/04 às 00h27min

MP investiga fraude de R$ 3 milhões contra o Ipergs

Uma operação desencadeada nesta quarta-feira pelo Ministério Público (MP) do Estado busca esclarecer indícios de uma fraude milionária envolvendo o Instituto de Previdência Estadual do Rio Grande do Sul (Ipergs). A Operação Examinação, realizada com apoio da Polícia Civil e da Brigada Militar, cumpriu oito mandados de busca e apreensão, nas cidades de Soledade, Ibirapuitã e Palmeira das Missões. Sete pessoas podem estar envolvidas na organização criminosa, segundo o MP, em crimes como associação criminosa, estelionato e falsidade ideológica, entre outros.
A ação foi disparada a partir de informações repassadas pelo instituto, dando conta de indícios de fraude em mais de 17 mil exames realizados pelo Laboratório de Análises Clínicas Esplanada Ltda. A clínica pedia a senha dos usuários que buscavam consultas e, aproveitando que a apresentação de cartão magnético para exames não era exigida pelo Ipergs na época, usava as contas para solicitar falsos procedimentos em nome dos pacientes. A baixa movimentação de pacientes nos consultórios, incompatível com os altos lucros, também despertou suspeitas. A estimativa é que, entre 2012 e 2017, cerca de R$ 3 milhões em exames não realizados tenham sido pagos pelo Ipergs, apenas ao laboratório Esplanada.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia