Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de abril de 2017. Atualizado às 10h53.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Liga dos Campeões

12/04/2017 - 10h49min. Alterada em 12/04 às 10h54min

Polícia prende suspeito e diz que carta indica atentado islâmico em Dortmund

Vigilância total no estádio em busca de explosivos, depois que investigação aponta relação com terroristas

Vigilância total no estádio em busca de explosivos, depois que investigação aponta relação com terroristas


Guido Kirchner/Germany OUT/AFP/JC
Promotores de Justiça da Alemanha prenderam um suspeito nesta quarta-feira (12) e afirmaram que a carta encontrada próxima ao local das três explosões que atingiram o ônibus do Borussia Dortmund indicam atentado terrorista de motivação islâmica. As explosões deixaram apenas um ferido, o zagueiro Marc Bartra, que não chegou a correr risco de morte.
De acordo com a polícia, a carta teria conteúdo que indicaria motivação extremista islâmica para o ataque ocorrido poucas horas antes do início da partida entre o Borussia e o Monaco, nesta terça, na cidade de Dortmund. Por causa das explosões, na saída do hotel onde estava hospedado o time da casa, a partida foi adiada para esta quarta, com segurança reforçada.
Segundo Frauke Koehler, a porta-voz da promotoria, dois suspeitos estão sendo investigados nesta linha de apuração da polícia. Em entrevista coletiva, ela revelou que as autoridades fizeram uma busca no apartamento dos dois suspeitos e que um deles foi detido.
A carta, ainda segundo a porta-voz, pediria que a Alemanha interrompesse o envio de aviões de reconhecimento que ajudam no combate ao Estado Islâmico e que o país fechasse a base aérea dos Estados Unidos em Ramstein, em solo alemão. As autoridades ainda avaliam a credibilidade da carta.
Há ainda outra linha de investigação, que apontaria uma motivação de extrema esquerda para as explosões. Mas Frauke Koehler disse que as autoridades tem "sérias dúvidas" quanto a esta motivação para o ataque ao ônibus do time de futebol.
A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, condenou as explosões que feriram um jogador do Borussia Dortmund e assustaram o time, antes da partida válida pela ida das quartas de final da Liga dos Campeões. Ela classificou o ato como "repugnante" após conversar por telefone com o diretor executivo do Borussia, Hans-Joachim Watzke.
De acordo com o porta-voz do governo, o ministro do Interior, Thomas de Maiziere, viajou nesta manhã para Dortmund para poder assistir ao jogo entre o Borussia e o Monaco, no estádio Signal Iduna Park, nesta quarta, como forma de demonstrar solidariedade ao clube alemão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia