Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de abril de 2017. Atualizado às 13h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria

Notícia da edição impressa de 28/04/2017. Alterada em 28/04 às 13h40min

Encontro na Fiergs discute política de óleo e gás

Uma reunião conjunta de duas frentes parlamentares e a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) discute, nesta sexta-feira, política de óleo e gás para o setor petrolífero, além de alternativas para retomada do desenvolvimento no setor de máquinas. O evento ocorre a partir de 10h, na sala D 209 da Fiergs. O receio de lideranças políticas e empresariais é que a mudança na chamada "política de preservação de conteúdo local" do setor de óleo e gás coloque em risco 1,5 milhão de empregos.
O deputado João Fischer (PP), que preside da Frente Parlamentar da Indústria e da Geração de Empregos, e o presidente da Frente Parlamentar da Indústria de Máquinas e Equipamentos no Congresso, deputado Jerônimo Goergen (PP), organizam o encontro ao lado da Abimaq e defendem a retomada do polo naval no Brasil. Fischer sugere que a Petrobras busque parcerias com empresas estrangeiras, a partir da instalação destas no Brasil ou pela transferência de tecnologia, na construção de plataformas petrolíferas. "O Brasil precisa, mais do que nunca, incentivar a geração de empregos. Não podemos, em virtude do desvio de alguns, acabar com uma indústria e milhões de empregos", destacou Fischer.
"A crise financeira fez o setor de máquinas recuar 10 anos. Neste encontro, queremos discutir políticas para que possamos reativar a cadeia produtiva", define Goergen.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia