Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 25 de abril de 2017. Atualizado às 10h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 25/04 às 10h48min

Na contramão do exterior, Bovespa abre em queda com reformas no foco

A Bovespa inicia a sessão desta terça-feira (25) em queda, em meio a um movimento pontual de realização de lucros depois de ter acumulado ganhos de 1,55% nos últimos dois pregões. Esse ajuste, que ocorre na contramão no exterior, é pautado principalmente pelo cenário político local, com as reformas fiscais no foco.
O mercado monitora no momento a comissão especial na Câmara em que deve ser votada a mudança na legislação trabalhista. A sessão estava prevista para começar às 10 horas, mas ainda não teve início.
Traz cautela, segundo operadores, o fato de o governo ter sofrido um revés importante na segunda-feira, quando o PSB - quinto maior partido da base aliada - decidiu fechar questão contra as reformas, obrigando os parlamentares da sigla a votarem contra as propostas, sob risco de expulsão. O receio é de que outros partidos sigam esse caminho.
Às 10h29min, o Ibovespa recuava 0,56%, aos 64.028,35 pontos, na mínima, enquanto os índices futuros em Wall Street avançam em meio à expectativa pelos incentivos tributários prometidos para esta semana pelo presidente dos EUA, Donald Trump, que discursa nesta terça às 12h20 (de Brasília).
Na Europa, as bolsas da região também dão continuidade aos ganhos da véspera, mas o fôlego é limitado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia