Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 16h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 19/04 às 16h55min

Maioria das bolsas da Europa fecha em alta, após pior sessão em 5 meses

As bolsas europeias terminaram a sessão desta quarta-feira (19) majoritariamente em alta, com ganhos moderados, influenciados por uma série de balanços corporativos, que ajudaram os mercados acionários europeus a se recuperarem do pior pregão em cinco meses, registrado na terça-feira.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,24%, aos 377.24 pontos, em leve recuperação da queda de 1,1% no dia anterior, maior perda diária desde 2 de novembro, após a forte alta da libra em relação a outras moedas fortes, com o anúncio da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, de que desejava antecipar as eleições no país.
Nesta quarta, a premiê ganhou o respaldo do Parlamento britânico, que aprovou a convocação de eleições antecipadas para 8 de junho, o que deve fortalecer a posição de seu governo nas negociações da saída da União Europeia (UE), o Brexit. Isso fez com que o índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, destoasse dos demais e fechasse novamente em baixa, de 0,46%, aos 7.114,36 pontos. Ações de bancos apresentaram comportamento misto, com o HSBC caindo 0,86% e o Lloyds avançando 2,35%.
Entre os indicadores do dia, a Eurostat, agência de estatísticas da UE, informou que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 1,5% na comparação anual de março, perdendo força em relação ao aumento de 2% observado em fevereiro. A agência também informou que a zona do euro voltou a apresentar superávit comercial em fevereiro, de 17,8 bilhões de euros.
Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,13%, para 12.016,45 pontos, mantendo os ganhos moderados registrados durante todo o pregão. A Lufthansa avançou 4,22%, na expectativa de que a companhia possa publicar lucros otimistas no primeiro trimestre. Na quinta e na sexta-feira, dados sobre a inflação ao produtor da Alemanha e índices dos gerentes de compras do país serão divulgados, e já são esperados pelos investidores.
O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 0,27%, aos 5.003,73 pontos, com ações de bancos influenciando positivamente os ganhos. O Crédit Agricole subiu 2,65%; o BNP Paribas avançou 1,78%; e o Société Générale ganhou 2,88%.
Já na Bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB avançou 1,96%, fechando na máxima, aos 19.824,61 pontos. O Intesa Sanpaolo ganhou 3,60%; o Unicredit teve expansão de 6,07% e o Banco BPM teve alta de 3,93%.
Em Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 0,14%, aos 4.934,00 pontos. Já na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 avançou 1,03%, para 10.370,30 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia