Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 10h19.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 19/04 às 10h21min

Juros seguem perto dos ajustes da terça à espera da reforma da Previdência

Os juros futuros iniciaram os negócios da quarta-feira com viés de queda, sendo que o contrato mais longo registrava viés de alta logo depois de o dólar renovar a cotação máxima nos mercados à vista e futuro. Um profissional do mercado observou que a aprovação do socorro aos Estados na terça-feira contribuiu, no início da sessão, para a continuidade da baixa das taxas, que fora iniciada como reação à ata do Copom, divulgada também na terça-feira.
Assim como no mercado cambial, o segmento da renda fixa está sensível nesta quarta às incertezas que pairam sobre a reforma da Previdência, cujo relatório deveria ter começado a ser lido às 9 horas.
Assessores da comissão especial da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados preveem que a leitura do parecer do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) não começará antes do meio-dia. Isso porque a sessão deve contar com uma atuação pesada da oposição para obstruir os trabalhos.
Às 9h48, o DI para janeiro de 2018 estava em 9,535%, mesma taxa do ajuste de terça. O DI para janeiro de 2019 estava em 9,35%, mesma taxa no ajuste do dia anterior. Já o vencimento para janeiro de 2021 passara a exibir viés de alta e marcava 9,89%, ante 9,88% no ajuste anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia