Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de abril de 2017. Atualizado às 18h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

balanços

Alterada em 17/04 às 19h02min

Lançamentos da Cyrela somam R$ 612 milhões no 1º trimestre

A Cyrela encerrou o primeiro trimestre de 2017 com volume de lançamentos de R$ 612 milhões, praticamente estável em relação ao mesmo período de 2016, quando registrou R$ 613 milhões em novos empreendimentos. A companhia não realizou permutas no período, ante R$ 21 milhões em permutas no começo do ano passado.
A participação da Cyrela nos lançamentos entre janeiro e março ficou em 88%, ante 67% de um ano antes. Quando se leva em conta somente essa participação, os lançamentos somaram R$ 537 milhões, crescimento de 35% em relação ao ano passado, já excluídas as permutas. Foram três lançamentos no período, dos quais dois na cidade de São Paulo e um no Rio de Janeiro.
As vendas líquidas da Cyrela no primeiro trimestre somaram R$ 520 milhões, ante R$ 544 milhões um ano antes, o que representa queda de 4%. Deste total, 38% foram de estoque pronto, 40% de estoque em construção e 22% em lançamentos.
Assim, a velocidade de vendas, representada pela sigla VSO, chegou a 18% nos três primeiros meses de 2017. Já a VSO em 12 meses ficou em 29,1%, mesmo índice do quarto trimestre, e pior que os 32,2% apresentados ao final do primeiro trimestre de 2016.
A participação da companhia nas vendas contratadas ficou em 71% no primeiro trimestre deste ano, ante 76% no mesmo período de 2016. Sem contar as permutas, as vendas somaram R$ 371 milhões, queda de 9%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia