Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de abril de 2017. Atualizado às 10h19.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

17/04/2017 - 10h09min. Alterada em 17/04 às 10h20min

Taxas de juros recuam com dólar e revisões para IPCA na pesquisa Focus

Os juros futuros recuam na manhã desta segunda-feira, 17, acompanhando o movimento do dólar e dos juros dos Treasuries, e após novas revisões para baixo na pesquisa Focus do IPCA para 2017 e 2018 e também para PIB de 2017, na véspera de divulgação da ata do Copom.
Às 9h19min desta segunda, o dólar à vista caía 1,28%, aos R$ 3,1056. O dólar futuro para maio recuava 1,27%, aos R$ 3,1150. Em Nova Iorque, o juro do T-Note de 2 anos caía a 1,1971% e do T-Note 10 anos, a 2,2279%.
Na renda fixa, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2018 cedia a 9,615%, de 9,650% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2019 estava em 9,410%, de 9,460% no ajuste anterior. E o DI para janeiro de 2021 caía a 9,90%, na mínima, de 9,95% no ajuste anterior.
Mais cedo, o Banco Central informou que o IBC-Br subiu 1,31% em fevereiro ante janeiro de 2017, com ajuste, ficando bem acima da mediana das projeções (+0,50%) e perto do teto das estimativas apuradas pelo Projeções Broadcast (-0,30% a +1,40%).
Já na pesquisa Focus do Banco Central, o mercado financeiro reduziu pela sexta semana consecutiva a expectativa para o IPCA em 2017, de 4,09% para 4,06%. A projeção para o IPCA de 2018 recuou de 4,46% para 4,39% na segunda queda seguida. A estimativa para PIB em 2017 caiu de 041% para 0,40%, e permaneceu em 2,50% para 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia