Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de abril de 2017. Atualizado às 10h10.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 12/04 às 10h13min

Varejo fraco alivia alta dos juros amparada por cautela com lista de Fachin

As fracas vendas no varejo em fevereiro trouxeram alívio às taxas futuras de juros, que desaceleraram os ganhos iniciais amparados pelas preocupações com a Lista de Fachin.
As vendas do comércio varejista caíram 0,20% em fevereiro ante janeiro. Os dados corroboram as expectativas majoritárias dos economistas de que o Comitê de Política Monetária (Copom) deve anunciar no fim da tarde um novo corte da taxa Selic, desta vez mais forte, de 1 ponto porcentual, para 11,25% ao ano.
Às 9h49, o DI para janeiro de 2019 exibia 9,39%, de 9,38%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 estava em 9,87%, de 9,83% no ajuste de terça-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia