Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de abril de 2017. Atualizado às 09h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

11/04/2017 - 09h33min. Alterada em 11/04 às 09h34min

Pressionado por realização de lucros, petróleo recua após 5 sessões de ganhos

Os futuros de petróleo mostram tendência de queda nesta manhã, influenciados por realização de lucros após acumularem ganhos por cinco sessões consecutivas, mas são favorecidos por relatos de cortes na oferta da Líbia e do Canadá.
Às 9h03min (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho caía 0,05% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 55,95 por barril, enquanto o WTI para maio recuava 0,06% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 53,05 por barril.
Apesar da leve queda nos negócios da manhã, a commodity permanece sustentada pelo novo fechamento ontem do maior campo petrolífero da Líbia, que reduziu a produção local em cerca de 220 mil barris.
Já analistas do Standard Chartered apontam que a produção de óleo sintético a partir de areias betuminosas do Canadá diminuiu em torno de 350 mil barris por dia, devido a um incêndio ocorrido em meados de março na cidade de Alberta. De acordo com o banco britânico, perdeu-se a produção de cerca de 25 milhões de barris no Canadá desde o início do incêndio.
No fim do dia, investidores vão acompanhar o relatório semanal da associação de refinarias conhecida como American Petroleum Institute (API) sobre os estoques dos EUA. Amanhã, sai a pesquisa oficial, divulgada pelo Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano.
Nas últimas sete semanas, a produção de petróleo dos EUA tem ficado acima de 9 milhões de barris, à medida que mais plataformas entram em operação no país.
Também na quarta-feira, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) divulga seu relatório mensal sobre o mercado da commodity. No fim do ano passado, a Opep e a Rússia fecharam acordos para reduzir sua produção em cerca de 1,8 milhão de barris por dia ao longo do primeiro semestre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia