Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 07 de abril de 2017. Atualizado às 08h10.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Bolsas asiáticas fecham sem direção única, após bombardeio dos EUA na Síria

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única e com variações modestas nesta sexta-feira (7), em meio a um sentimento de cautela gerado por um bombardeiro dos EUA a um alvo na Síria. Além disso, investidores da região acompanham desdobramentos da reunião de dois dias do presidente americano, Donald Trump, com o presidente da China, Xi Jinping, e aguardam novos dados do mercado de trabalho dos EUA.

Na China, o índice Xangai Composto teve leve alta de 0,17% hoje, a 3.286,62 pontos, mantendo o tom positivo exibido na semana, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto registrou baixa marginal de 0,04%, a 2.028,33 pontos.

Já em Tóquio, o Nikkei subiu 0,36%, a 18.664,63 pontos, após encerrar o pregão anterior no menor nível em quatro meses.

Notícias de que os EUA lançaram dezenas de mísseis contra uma base aérea na Síria causaram apreensão na Ásia, mas também impulsionaram os preços do petróleo e ações de empresas ligadas ao setor. Na capital japonesa, Inpex e Japex, que atuam na indústria petrolífera, subiram mais de 4%.

Em outras partes da região asiática, o Hang Seng ficou praticamente estável em Hong Kong, com ligeira queda de 0,03%, a 24.267,30 pontos, assim com o sul-coreano Kospi, que caiu apenas 0,05% em Seul, a 2.151,73 pontos. No mercado taiwanês, o Taiex recuou 0,25%, a 9.873,37 pontos. Exceção, o filipino PSEi avançou 0,24% em Manila, a 7.583,75 pontos.

Há expectativa na Ásia também para a reunião de Trump e Xi Jinping na Flórida, que teve início ontem, e para o último relatório de emprego dos EUA, que será divulgado nesta manhã e tem forte influência nas decisões de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Trump aceitou convite de Xi para visitar a China ainda este ano, segundo a agência de notícias estatal chinesa Xinhua.

Na Oceania, a bolsa australiana também foi favorecida pelo bom desempenho de petrolíferas e o S&P/ASX 200 avançou 0,11%, a 5.862,50 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia