Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de abril de 2017. Atualizado às 18h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

06/04/2017 - 17h59min. Alterada em 06/04 às 18h37min

Bolsas fecham em alta em Nova Iorque, impulsionadas pelo setor de energia

As bolsas de Nova Iorque fecharam em alta nesta quinta-feira em dia positivo para as ações do setor de energia, em reação ao avanço dos preços do petróleo. Por outro lado, os índices perderam fôlego no fim da sessão, diante de algumas declarações duras do governo dos EUA sobre a Síria e a Coreia do Norte.
O índice Dow Jones fechou em alta de 0,07%, em 20.662,95 pontos, o Nasdaq avançou 0,25%, para 5.878,95 pontos, e o S&P 500 subiu 0,19%, a 2.357,49 pontos.
O setor de energia se destacou hoje diante da força do petróleo, mas até agora neste ano é o que tem desempenho mais fraco. Além disso, havia expectativa pela divulgação do relatório mensal de empregos (payroll), que sai nesta sexta-feira.
Os sinais de força da economia dos EUA têm apoiado as ações recentemente, mesmo com investidores avaliando a possibilidade de que políticas como cortes de impostos possam não vir tão rápido. "A economia está ficando fundamentalmente melhor, mesmo excluindo-se qualquer reforma tributária", disse Brent Schutte, estrategista-chefe de investimento da Northwestern Mutual Wealth Management Company. Segundo ele, havia muito ceticismo sobre a recuperação, mas em geral o consumidor americano está agora em posição muito mais confortável.
Na agenda de indicadores, os pedidos de auxílio-desemprego dos EUA recuaram 25 mil na última semana, para 234 mil, ante previsão de 250 mil dos analistas. Os resultados corporativos também mostram sinais positivos, com analistas na expectativa de que as companhias que compõem o S&P 500 registrem seus melhores resultados trimestrais desde 2011.
Ainda assim, muitos investidores mostram-se cautelosos. O S&P 500 sobe cerca de 10% desde a eleição presidencial dos EUA, o que deixa os papéis vulneráveis para uma correção, segundo eles.
Entre as ações de energia hoje, Chesapeake Energy subiu 3,1% e Newfield Exploration teve alta de 1,5%. O avanço do petróleo ajudou, diante da expectativa de que os estoques de petróleo dos EUA em breve comecem a diminuir.
Por outro lado, declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, e de outros membros do governo de Washington de que pode ser endurecida a posição com relação à Síria e à Coreia do Norte impuseram mais cautela no fim do pregão. Trump se reúne hoje e amanhã com o presidente da China, Xi Jinping, e há expectativa sobre os resultados desse diálogo. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia