Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de abril de 2017. Atualizado às 00h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 06/04/2017. Alterada em 06/04 às 00h07min

Empresas criticam PL que regula apps de transporte

O carro precisa ter seguro com cobertura de Acidentes Pessoais a Passageiros

O carro precisa ter seguro com cobertura de Acidentes Pessoais a Passageiros


/UBER/DIVULGAÇÃO/JC
O Projeto de Lei (PL) nº 5587/2016, que regulamenta o transporte de passageiros por aplicativos, aprovado na noite de terça-feira pela Câmara dos Deputados, foi criticado por empresas que oferecem o serviço. A proposta traz uma série de exigências, como a necessidade de autorização das prefeituras, aproximando o modelo ao sistema de táxis. Após passar pela Câmara, o projeto seguiu para apreciação do Senado.
Pelo texto, os motoristas terão que ter um Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) de prestação do serviço e contratar seguro para acidentes pessoais para passageiros e condutor. Também será exigida Carteira de Habilitação tipo B ou superior com a informação de que o portador exerce atividade remunerada de transporte.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia