Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de abril de 2017. Atualizado às 17h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

fraude

Alterada em 05/04 às 17h36min

Jamaica e Barbados reabriram mercados de carne para o Brasil, diz Maggi

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse nesta quarta-feira, 5, em Buenos Aires, na Argentina, que o Brasil já conseguiu reabrir a maioria dos mercados que haviam imposto restrições às carnes brasileiras. "Ainda há alguns mercados fechados no Caribe, mas ontem (4) a Jamaica também reabriu e, em seguida, Barbados fez o mesmo", afirmou no encerramento da XXXIII Reunião Ordinária do Conselho Agropecuário do Sul (CAS), segundo nota distribuída por sua assessoria.
As medidas restritivas se deviam à repercussão internacional da Operação Carne Fraca da Polícia Federal. Maggi, que se reuniu com ministros da Agricultura da Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, enfatizou que a investigação é sobre condutas de pessoas e não sobre a qualidade das carnes brasileiras. "O Brasil deu as devidas explicações não só aqui no CAS, mas no mundo inteiro", declarou.
O ministro aproveitou o final da reunião para informar que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) deverá apresentar, até o fim do ano, pesquisa com a produção de carne com emissão zero de carbono. "Todo o processo (de criação de bovinos) vem sendo desenvolvido com mitigações, com a melhoria de pastagens e tudo mais. Até o fim do ano, a Embrapa vai apresentar o balanço desse trabalho ao Brasil e ao mundo."
Maggi também anunciou na capital argentina que o México liberou as importações de arroz do Brasil. "Ontem mesmo o México liberou a importação de arroz brasileiro, que estava fechada há muito tempo. Abriu-se a oportunidade de negociação de cerca de 900 toneladas do nosso arroz para aquele mercado."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia