Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de abril de 2017. Atualizado às 12h29.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

logística

05/04/2017 - 12h31min. Alterada em 05/04 às 12h31min

Transporte aéreo de cargas cresce 8,4% em fevereiro, revela Iata

A demanda global por transporte aéreo de cargas, apurada em toneladas-quilômetro transportadas (FTK), cresceu 8,4% em fevereiro de 2017 em relação ao mesmo período de 2016, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira, 5, pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês).
Já a oferta global por transporte aéreo de cargas, medida em toneladas-quilômetro disponíveis (AFTK), diminuiu 0,4% em fevereiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Com isso, a taxa de ocupação global das aeronaves para o transporte de carga chegou a 43,5%, uma alta de 3,5 ponto porcentual (p.p.) em um ano.
Ao analisar o desempenho do transporte aéreo de cargas por região, a Iata destaca que exceto a América Latina, as demais áreas - África, Ásia/Pacífico, Europa, Oriente Médio e América do Norte - tiveram um aumento na demanda no segundo mês do ano.
No países latino-americanos, a demanda por transporte aéreo de cargas recuou 4,9% na comparação com fevereiro de 2016, enquanto a oferta diminuiu 7,2%. Desta maneira a taxa de ocupação para o transporte de cargas aumentou 0,8 p.p., chegando a 32,4%.
"As companhias latino-americanas conseguiram ajustar a oferta, o que limitou o impacto negativo na taxa de ocupação", destaca a Iata, em nota. "A América Latina continua a ser afetada pela fraqueza econômica e pela instabilidade política."
O maior crescimento na demanda por transporte de cargas em fevereiro foi verificado na Ásia/Pacífico, com uma alta de 11,8% na base anual, seguida pela África (+10,6%), Europa (+10,5%), América do Norte (+5,8%) e Oriente Médio (+3,4%).
Já a oferta global por transporte aéreo de cargas, medida em toneladas-quilômetro disponíveis (AFTK), diminuiu 0,4% em fevereiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Com isso, a taxa de ocupação global das aeronaves para o transporte de carga chegou a 43,5%, uma alta de 3,5 ponto porcentual (p.p.) em um ano.
Ao analisar o desempenho do transporte aéreo de cargas por região, a Iata destaca que exceto a América Latina, as demais áreas - África, Ásia/Pacífico, Europa, Oriente Médio e América do Norte - tiveram um aumento na demanda no segundo mês do ano.
No países latino-americanos, a demanda por transporte aéreo de cargas recuou 4,9% na comparação com fevereiro de 2016, enquanto a oferta diminuiu 7,2%. Desta maneira a taxa de ocupação para o transporte de cargas aumentou 0,8 p.p., chegando a 32,4%.
"As companhias latino-americanas conseguiram ajustar a oferta, o que limitou o impacto negativo na taxa de ocupação", destaca a Iata, em nota. "A América Latina continua a ser afetada pela fraqueza econômica e pela instabilidade política."
O maior crescimento na demanda por transporte de cargas em fevereiro foi verificado na Ásia/Pacífico, com uma alta de 11,8% na base anual, seguida pela África (+10,6%), Europa (+10,5%), América do Norte (+5,8%) e Oriente Médio (+3,4%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia