Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de abril de 2017. Atualizado às 10h10.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Taxas de juros recuam se ajustando a projeções de inflação corrigidas no RTI

Os juros futuros estão em baixa desde cedo nesta quarta-feira (5), pressionados pelo dólar e reagindo à correção das projeções de inflação para 2017 e 2018 feitas pelo Banco Central no Relatório Trimestral de Inflação (RTI). Às 9h58min, O DI para janeiro de 2018 estava em 9,780%, de 9,805%, enquanto o DI para janeiro de 2019 exibia 9,42%, de 9,44% no ajuste de terça. Já o vencimento para janeiro de 2021 estava em 9,78%, de 9,81% no ajuste anterior.

Duas das principais projeções divulgadas na semana passada no RTI do Banco Central estavam erradas e foram corrigidas na terça-feira pela instituição.

No cenário de referência - aquele com juros e câmbio constantes, a projeção para a inflação em 2017 era de 3,9% e, após a correção, ficou em alta de 3,6%. Para 2018 no mesmo cenário, que estimava alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 4%, a previsão certa indica alta de 3,3% - bem perto do piso da meta de inflação de 3%.

Na projeção do cenário híbrido que usa juros constantes e a trajetória do dólar prevista pelo mercado na pesquisa Focus, a previsão errada para o IPCA em 2017 indicava 3,9% e a corrigida indica alta de 3,7%. Para 2018, a estimativa errada indicava inflação de 4,2% e a corrigida, de 3,5%.

O texto que acompanha o cenário de referência também foi ajustado. "A projeção é menor do que no cenário anterior porque, como a trajetória da inflação é de queda, o pressuposto de taxa de juros nominal constante resulta em aumento na taxa de juros real, pressionando ainda mais a inflação para baixo", cita o texto corrigido.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia