Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de abril de 2017. Atualizado às 19h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 04/04 às 19h16min

Dólar recua em Nova Iorque ante rivais em meio à cautela de investidores

O dólar recuou nesta terça-feira (4), na comparação com rivais em meio à cautela dos investidores às vésperas da divulgação de dados econômicos importantes e um encontro entre os líderes da China e dos Estados Unidos.
No fim da tarde de Nova Iorque, o euro subia para US$ 1,0671, de US$ 1,0669 na tarde de ontem; o dólar recuou para 110,76 ienes, de 110,94 ienes.
Analistas citaram várias razões para estarem cautelosos, incluindo o ataque no metrô de São Petersburgo, na Rússia - que deixou 14 mortos ontem , e a reunião entre o presidente americano, Donald Trump, e o presidente da China, Xi Jinping. Eles devem abordar o comércio entre os dois países depois de Trump ter acusado a China de desvalorizar sua moeda de forma desleal para obter vantagem sobre os americanos.
Na sexta-feira, o governo americano divulga o esperado relatório de empregos (payroll), e uma leitura positiva pode aumentar as chances de o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) elevar os juros novamente em breve. Juros mais altos tendem a beneficiar o dólar, que se torna mais atrativo para investidores em busca de rendimentos.
"Um payroll sólido que indique um aumento dos salários pode levar o mercado a começar a precificar quatro aumentos de juros em 2017, um cenário que impulsionaria o dólar vigorosamente", disse Omer Esiner, analista da Commonwealth Foreign Exchange.
Amanhã, o Fed revela a ata da reunião de política monetária de março, que pode oferecer pistas sobre o cronograma de aperto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia