Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de abril de 2017. Atualizado às 19h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

Alterada em 03/04 às 19h18min

Em encontro com rei da Suécia, CNI defende acordo previdenciário e reformas

Em debate com empresários brasileiros e suecos, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) propôs a criação de alguns acordos entre Brasil e Suécia, entre eles a unificação da contribuição previdenciária de empresas instaladas nos dos países. Além disso, a entidade defendeu que o crescimento econômico e a retomada do emprego no Brasil dependem de reformas estruturais, como a da Previdência. O encontro ocorre no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, e deve receber o presidente Michel Temer (PMDB) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB)
O acordo previdenciário foi defendido pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, durante o Fórum de Líderes Brasil-Suécia, que reúne empresários e o rei Carlos XVI Gustavo da Suécia. Segundo informou a assessoria de imprensa de Andrade, esse acordo permitiria o reconhecimento das contribuições à previdência social dos trabalhadores do Brasil e da Suécia, evitando a dupla contribuição aos sistemas previdenciários dos dois países, e é estratégico para a internacionalização das companhias.
O diretor de Políticas e Estratégia da CNI, José Augusto Fernandes, também fez um discurso no encontro e apresentou a Agenda Legislativa da Indústria, lançada pela CNI na semana passada. Entre as propostas consideradas prioritárias pela instituição, estão as reformas política, tributária e da Previdência no País.
O encontro reúne 62 empresários, entre suecos e brasileiros, para debater a relação dos países. Após o Fórum, a CNI oferece um jantar para 150 pessoas, entre empresários e autoridades governamentais, no hall nobre do Bandeirantes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia