Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de abril de 2017. Atualizado às 08h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

03/04/2017 - 08h51min. Alterada em 03/04 às 08h53min

IPC-S fica em 0,47% em março e acumula 4,55% em 12 meses, revela FGV

Alimentação está entre as classes de despesas que mais registrou acréscimo

Alimentação está entre as classes de despesas que mais registrou acréscimo


ANDR/ARQUIVO/JC
O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) acelerou o ritmo de alta para 0,47% em março, na comparação com 0,31% em fevereiro, de acordo com dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgados na manhã desta segunda-feira (3). O resultado veio mais baixo que a mediana de 0,50% das pesquisas, cujo intervalo de expectativas ia de 0,40% a 0,55%.
No acumulado de 12 meses, o indicador desacelerou ao passar de 4,57% até fevereiro para 4,55% em igual período concluído em março. No ano, a taxa acumulada é de 1,48%.
Em relação à terceira quadrissemana de março, o IPC-S também acelerou ao sair de 0,39% para 0,47% na última semana do mês.
Das oito classes de despesas pesquisadas, cinco registraram acréscimo em suas taxas de variação de preços na passagem da terceira leitura para a quarta de março: Alimentação (0,42% para 0,71%); Habitação (0,94% para 1,10%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,61% para 0,71%), Despesas Diversas (0,80% para 0,90%) e Educação, Leitura e Recreação, que diminuiu o ritmo de queda de 0,185 para recuo de 0,11% no encerramento do mês.
Em contrapartida, os grupos Transportes (de baixa de 0,03% para declínio de 0,30%) e Comunicação (de queda de 0,77% para -0,95%) limitar uma alta mais significativa do IPC-S entre a terceira e a quarta medição de março. Já a taxa do conjunto de preços de Vestuário ficou praticamente a mesma, ao sair de 0,12% para 0,11% no fim de março.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia