Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de março de 2017. Atualizado às 22h29.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 28/03/2017. Alterada em 27/03 às 21h37min

Vereadores da Frente Armas Pela Vida rebatem críticas

Carlos Villela, especial para o JC
Em dia pouco movimentado na Câmara Municipal, a principal discussão ocorrida entre os vereadores tratou sobre a crítica da vereadora Sofia Cavedon (PT) à Frente Parlamentar Armas Pela Vida. Na sessão passada, Sofia havia se referido à frente como a "bancada da bala" da Câmara de Porto Alegre.
A vereadora Comandante Nádia (PMDB) subiu à tribuna para afirmar que não presenciou casos de violência por parte de pessoas com porte de arma legalizado durante seus 28 anos de carreira na Brigada Militar.
Mônica Leal (PP) também se posicionou contra a fala de Sofia, e entregou à petista uma bala de framboesa para ironizar o pronunciamento dela. Já o vereador Roberto Robaina (PSOL) criticou na tribuna o fato de essa discussão tomar bastante tempo da pauta, afirmando que o tema era um "desvio de assunto" da Câmara Municipal.
Ao fim da sessão, a única votação concluída foi a moção de solidariedade ao projeto de lei do deputado federal catarinense Rogério Peninha Mendonça (PMDB), que alteraria o Estatuto do Desarmamento e regularia questões de aquisição, porte e circulação de armas de fogo. A moção teve votos contrários das bancadas do PT e do PSOL.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia