Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de março de 2017. Atualizado às 11h31.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Alterada em 08/03 às 11h32min

Câmara aprova projeto de controle da natalidade de cães e gatos por castração

Controle levará em conta a superpopulação ou o quadro epidemiológico na localidade

Controle levará em conta a superpopulação ou o quadro epidemiológico na localidade


FREDY VIEIRA/JC
O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (7), um projeto de lei que cria uma política de controle da natalidade de cães e gatos. O projeto, em tramitação desde 2003 na Casa, vai à sanção presidencial.
De acordo com a proposta do ex-deputado Affonso Camargo (PSDB-PR), falecido em 2011, o controle será feito por esterilização dos animais, levando em conta a superpopulação ou o quadro epidemiológico na localidade.
O atendimento prioritário será em comunidades de baixa renda. As prefeituras que não tiverem um centro de controle de zoonoses ou sem condições de executar o programa poderão fazer parcerias com entidades de proteção animal ou clínicas veterinárias.
Ao apresentar o projeto, o autor condenou a prática do extermínio de cães e gatos saudáveis como método de controle populacional e defende políticas de castração. "O povo deve ser conscientizado da necessidade de esterilizar os animais, ainda que domiciliados, para que se ponha fim à cruel e criminosa prática do abandono de filhotes indesejados, que contribui para o aumento de animais de rua e a sua consequente exposição a maus-tratos", diz a justificativa do projeto. O relator da proposta foi o deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), atual líder da bancada tucana na Câmara.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia