Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 02 de março de 2017. Atualizado às 16h30.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

02/03/2017 - 16h35min. Alterada em 02/03 às 16h36min

Aloysio Nunes será o novo ministro de Relações Exteriores

Posse de Aloysio Nunes deverá ocorrer na próxima segunda-feira

Posse de Aloysio Nunes deverá ocorrer na próxima segunda-feira


PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO/JC
Agência O Globo
O presidente Michel Temer vai oficializar o líder do governo no Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP), como o novo ministro das Relações Exteriores. A reunião nesta quinta-feira no Palácio do Planalto, fora da agenda oficial, foi para sacramentar o tucano no cargo. A chefia do Itamaraty estava vaga desde o último dia 22, quando o também tucano José Serra pediu demissão alegando problemas de saúde que o "impedem de manter o ritmo de viagens".
A posse de Aloysio Nunes e do novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), deverá ocorrer na próxima segunda-feira, em uma cerimônia conjunta no Planalto.
Com a ida de Aloysio para as Relações Exteriores, Temer terá que definir o novo líder do governo no Senado. Uma possibilidade é que Romero Jucá (PMDB-RR), atualmente na liderança do governo no Congresso, seja remanejado para a função, que ocupou nos governos Fernando Henrique, Lula e Dilma. Governistas não descartam, no entanto, que o presidente escolha outro senador do PMDB para a função.
Ao longo de sua trajetória, o novo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, se transformou de um radical militante de esquerda em um político autor de propostas associadas a setores conservadores, como a redução da maioridade penal para crimes hediondos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia